Dicas para cuidar do pet após uma cirurgia

Não tem nada mais angustiante para um tutor do que ver o seu pet amoado, com o semblante triste e sem agir como de costume – correr atrás da bolinha, avançar nos petiscos ou pular de alegria ao sair para passear. Isso acontece, geralmente, quando ele está doente ou em períodos pós-cirúrgicos.

Quando ele está doente, não há outra opção senão levá-lo ao veterinário. Já em casos pós-cirúrgicos, a atenção e companhia do tutor são fundamentais para avaliar as necessidades e limitações do seu melhor amigo.

“Os cuidados pós-operatórios variam de acordo com a idade e condições do pet, assim como o tipo de cirurgia”, explica a veterinária americana Carol Osborne ao site PetMd.

No geral, é comum que os pets fiquem sonolentos e até um pouco desanimados nas primeiras 12 ou 24 horas após o procedimento cirúrgico. Nesse período, é importante deixá-lo descansar para se recuperar. Depois, é comum que os donos fiquem perdidos por não saber do que fazer ou o que esperar após a cirurgia. “Uma boa ideia é conversar com o veterinário e pedir uma lista com detalhes específicos de como cuidar do pet após a operação”, indica Carol.

Confira algumas dicas para te ajudar nesse processo:

gato após cirurgia nos olhos

Restrinja os acessos e atividades do seu pet

A regra é simples: quanto mais o pet descansar, mais rápido ele irá se recuperar. Por isso, muitas vezes, é importante até restringir algumas atividades do pet para acelerar o processo de recuperação, como evitar passeios, brincadeiras que exijam muito movimento e até o espaço que ele tem para circular dentro de casa.

“Esse confinamento após a cirurgia ajudará na cicatrização dos pontos”, explica a médica veterinária Chelsea Sykes.

A restrição da área e das atividades também é importante para evitar que o pet coce os pontos em objetos como o braço do sofá, cadeiras, pufes, entre outros.

Dê bastante atenção a ele

Ainda que o pet precise de “limites” durante o pós-operatório, é muito importante que o tutor entenda que isso não quer dizer menos atenção. Dar carinho ao pet, conversar com ele e mantê-lo sempre por perto fará com que ele fique menos estressado e se recupere mais rápido.

 

Tenha cuidado ao administrar medicamentos

Os medicamentos mais comuns para pós-operatório são antibióticos (para o caso de infecções), analgésicos (para dor) e sedativos, principalmente para os cachorros mais agitados.

Porém, é comum que em alguns casos o veterinário não prescreva algum desses remédios. Ao notar que o cachorro está com dor ou tem uma possível infecção no corte, nunca tome a atitude de medicar o seu pet com remédios que você tem em casa. Procure sempre a orientação do veterinário.

Fique atento à cicatrização dos pontos e infecções

Quando o assunto é o corte da cirurgia, a melhor recomendação é não mexer. Raramente os veterinários pedem para que os tutores façam curativos. Por outro lado, é muito importante ficar atento à cicatrização dos pontos e possíveis infecções.

“Cobrir o corte se o cachorro costuma passear na rua é importante para manter a região limpa, mas não mantenha o curativo por muito tempo, ao menos que tenha sido recomendado pelo médico”, alerta Sykes.

Alguns sinais de infecção no corte são inchaço, pus, vermelhidão e sensação “dura” ao tocar a região. Ao notar algum desses sinais, procure imediatamente o veterinário. No máximo, limpe a região com uma gaze esterilizada e umedecido em água morna.

Fonte: PetMD. Fotos:iStock
PetCidade.com.br.

Deixe um comentário