Obesidade em pets: causas, sintomas e como evitar

Para quem não sabe, obesidade não é um mal que acomete somente nós, seres humanos. Nossos bichinhos de estimação não só podem ter muitos problemas com o acúmulo excessivo de gordura, como alguns são bem semelhantes aos que acontecem com uma pessoa.

Problemas ortopédicos, aumento de colesterol e triglicérides, diabetes, doença hepática gordurosa, pancreatite, hipertensão, arteriosclerose e tantas outras disfunções também são desencadeadas pela obesidade nos pets.

A condição pode ocorrer tanto pelo consumo de alimentos inadequados, como pelo sedentarismo. Segundo o veterinário José Manuel Pedreira Mouriño, da Clínica Veterinária Pet Place, ainda existem raças mais propensas a engordar, como beagles e labradores, que são cães de caça, criados para andar o dia todo e comer muito pouco. Porém, dentro de casa, eles costumam se exercitar menos e comer mais.

beagle

Raças como beagle (foto) e labrador têm maior propensão a engordar, caso não se exercitem

“A obesidade é um problema muito relacionado a alterações comportamentais causadas pelo dono do animal. Se o dono estimula muito o pet a comer ou se mostra feliz quando ele come, o mesmo tende a criar uma compulsão alimentar, comendo mesmo sem fome, somente para agradar ao dono”, explica Mouriño.

Por isso, é recomendado seguir a porção diária sugerida no pacote de ração do seu pet – nada mais, nada menos; além de evitar dar biscoitinhos e (pelo bem deles) ignorar a cara de pidões quando comemos algo.

Assim como em humanos, o sedentarismo é outro vilão, que aumenta a possibilidade do ganho de peso. Portanto, as atividades físicas são fundamentais para a manutenção da saúde física e mental de todos os animais.

border collie

Raças como o border collie devem praticar atividades físicas por mais de 2h ao dia

“É essencial consultar um veterinário para descobrir o tempo ideal de atividade diária para cada pet, já que há uma diversidade individual muito grande em cada raça. O buldogue inglês, por exemplo, pode morrer caso se exercite de forma intensa por meia hora. Já raças como border collie devem praticar atividades físicas por mais de 2h ao dia”, informa o veterinário.

Alguns fatores podem ajudar a descobrir se o seu cão ou gato estão obesos:

  • Toque as costelas para sentir se são palpáveis. Se houver gordura acumulada, você não conseguirá contar e separar uma da outra;
  • Observe a silhueta do animal. Vista de cima e pela lateral, a cintura deve ser bem cavada. Caso não esteja cavada, indica sinal de sobrepeso.
  • Se mesmo após os testes acima, você ainda tem dúvida, leve seu pet a um veterinário para diagnosticar e, em caso positivo, tratar especificamente o caso dele.

Fonte: PetCidade.com.br.

Deixe um comentário