Ração para cães idosos

No mercado pet existe uma ração específica para cães idosos. Isso porque, assim como os seres humanos, os cachorros também precisam de cuidados especiais quando chegam na terceira idade.

Chamada de ração sênior, esse tipo de alimentação é a mais adequada para os cães que já são considerados velhinhos. De acordo com veterinários, essa alternativa é específica pois atende as necessidades fisiológicas desses animais nas fases da velhice.

Ração para cães idosos

“O envelhecimento dos cães não é uma doença, mas uma evolução física que torna o animal vulnerável. É um processo progressivo, silencioso e acontece externa e internamente,” comenta a médica veterinária e membro da equipe de comunicação científica da Royal Canin, Cíntia Fuscaldi.

A ração para cachorros idosos ajuda a retarda os sinais da velhice

Existem duas fases da velhice canina, em ambas é preciso de alimentação direcionada (Foto: depositphotos)

Ainda segundo a especialista em saúde animal, os cães apresentam duas fases de envelhecimento. E em ambas as situações, a ração é essencial para cuidar da saúde desses animais.

Na primeira fase do cão idoso, o cão atinge 50%da expectativa de vida. Já na segunda fase, o animal entra no último terço. E como cada raça tem expectativas diferentes, as idades podem variar.

Como regra, pode-se estabelecer que os cães de menor porte entram na primeira fase mais tarde, que os de maior porte.

“A função da alimentação específica e demais cuidados com os cães têm por finalidade ajudar a retardar o início dos sinais de envelhecimento na primeira etapa e, na segunda etapa, limitar o desenvolvimento desses sinais,” explica Cíntia em artigo publicado no site da Royal Canin.

Para a veterinária, é essencial que sejam respeitadas as necessidades dos cães nessa fase da vida. Só desta maneira o cão vai poder aproveitar a vida por mais tempo e de uma forma saudável.

Assim, quando há um balanço nutricional específico para cada fase do processo de envelhecimento, os cães conseguem manter o apetite, o peso e massa muscular.

Além disso, o corpo consegue fortalecer as defesas naturais, promover a saúde oral e intestinal, sem sobrecarregar os rins. Tudo isso, mantendo a alimentação do animal com os níveis de vitaminas, minerais e antioxidantes em equilíbrio.

Ração sênior para os cães

A ração para cães idosos é feita baseada nas necessidade nutricionais da fase

Essas rações são ricas em vitaminas, minerais, ferro e ômega 6 (Foto: depositphotos)

A ração sênior foi desenvolvida para atender as necessidades dos cães idosos. Na última etapa da vida, os cães apresentam um metabolismo mais lento. Assim, o uso de qualquer ração pode contribuir para o sobrepeso.

Por isso que as empresas fornecedoras de ração estão cada vez mais investindo em alimentos específicos. A Royal Canin, por exemplo, desenvolveu alimentos específicos para as duas etapas do envelhecimento dos cachorros, levando em consideração também o tamanho da raça.

No geral, as rações sênior são compostas com vitaminas (A, B, C e E), minerais (iodo, zinco, ferro) e aminoácidos. Além de ômega 6 e outros nutrientes necessários para essa fase da vida dos cães.

Como oferecer ração para cães idosos?

De acordo com a veterinária Patrícia Barros, além de escolher a ração sênior para cães idosos, é necessário ainda ter cuidados na hora de oferecer esse alimento.

Em vídeo divulgado no seu canal no YouTube, Primeiros Socorros para Pets, a veterinária indica alimentar o cão idoso duas vezes ao dia. Além disso, sempre usando o comedouro limpo.

“Coloque a ração, aguarde de 10 a 15 minutos. Se o seu cão não comer, você jamais vai voltar aquela ração para o saco“, alerta Patrícia. A médica indica que o tutor guarde a ração em um recipiente fechado e coloque para o cão na próxima refeição.

“Se ele não comer naquela refeição, lembre-se: na próxima refeição você não vai jamais dobrar a quantidade daquela ração. Você vai colocar a mesma quantidade, como se ele tivesse se alimentado na refeição anterior”, recomenda.

Além desses cuidados, Patrícia Barros indica jogar fora a ração, caso o animal tenha deixado restos. Isso porque, a ração pode desenvolver bactérias ao longo dos dia.

“Quanto mais umidade a ração absorve, menos sabor ela vai ter. E quanto mais umidade, mais o desenvolvimento de bactérias e fungos. Atrai barata, formiga e rato”, finaliza a médica veterinária.

Ração para cães idosos com poucos dentes

Em alguns casos a ração para cães idosos pode ser substituída por uma alimentação caseira

São raros os casos em que os animais não conseguem comer realmente (Foto: depositphotos)

Para o veterinário Arthur Ferreira, mesmo com poucos dentes os cães conseguem comer a ração própria para eles. Em vídeo publicado no canal Dicas do Veterinário, o especialista afirma que o cão pode ter outros problemas de saúde que o impeçam de comer.

“Talvez ele esteja com uma anemia, com uma carga de vermes muito alta. Então, na maioria das vezes, as pessoas tendem a querer mascarar os sintomas que os animais estão tendo (dificuldade de se alimentar), achando que é o alimento que ele não está querendo comer”, alerta o veterinário.

Ainda segundo o médico, são raros os casos em que os animais não conseguem comer realmente.“Cerca de 2% a 3% dos cães idosos, que realmente não têm a dentição boa, que realmente já perderam todos os dentes, que já fizeram a extração desses dentes por limpeza de tártaro e não tem um check-up tão legal.”

E são apenas nesses casos que o veterinário recomenda a troca da ração por uma alimentação natural caseira. Isso porque, na fase de total debilidade dos cães, eles já vão ter perdido as percepções de olfato e paladar.

“Recomendo que você busque com o veterinário, baseados em exames de sangue, quais são as deficiências que ele [o cão] apresenta para a gente entrar melhor com a alimentação caseira. As vezes a gente precisa colocar um frango. As vezes a gente precisa colocar uma batata, precisa colocar um brócolis. As vezes precisa colocar uma carne moída”, complementa Arthur Ferreira.

Só com o acompanhamento veterinário o tutor pode substituir a ração para cães idosos. Levando em consideração a opinião do médico, os resultados de exames e a qualidade de vida do cão velhinho.

Fonte: Clube para Cachorros.

Deixe um comentário